quinta-feira, 29 de novembro de 2007

Rua António Quadros




Rua António Quadros já existe. É em Cascais, perpendicular à Rua Adelino Amaro da Costa.

5 comentários:

joaofen@gmail.com disse...

António Quadros Ferro, neto do escritor, teve a gentileza de me comunicar hoje, dia 29 de novembro de 2007, a boa nova da atribuição do nome de António Quadros a uma rua de Cascais. Recebi o mail de António Quadros Ferro, em Brasília, por volta das 18:00 horas. A reação imediata que tive foi compor uma notícia em forma de verso e colocá-la em http:www.usinadeletras.com.br, site brasileiro onde colaboram cerca de 8.000 escritores, entre os quais muitos portugueses. Para que mais leitores tomem conhecimento da figura invulgar de António Quadros. Fui amigo e companheiro de luta de Antônio Quadros pela afirmação de uma filosofia Portuguesa, colaborador de sua revista "Espiral". Fui também um dos primeiros conferencistas do Centro Nacional de Cultura, a que ele estava ligado juntamente com Afonso Botelho, António Braz Teixeira e Orlando Viorino. Minha conferência no Centro Nacional de Cultura foi em 1955.
Eis a íntegra da memória que coloquei para ele no site brasileiro: www.usinadeletras.com.br.


A RUA DE UM PRÍNCIPE DA CULTURA PORTUGUESA EM CASCAIS


João Ferreira
29 de novembro de 2007


Agora ele está ali, em Cascais,
Cidade bela e nobre de Portugal,
Numa rua que tem seu nome
Escritor António Quadros (1923-1994)
Silencioso
Majestático
Pronto para ensinar
Para moradores da rua e transeuntes
O que foi Portugal histórico, sua tradição
E modernidade cultural
Ele será patrono e titular deste espaço
Para ser lembrado
como português exemplar
que viveu intensa paixão de amor às letras pátrias
Como símbolo de luta pelas causas maiores portuguesas
Ficará ali como senhor de um reino de cultura que está arquivado no simples enunciado e lembrança de seu nome
Como senhor nobre
Que incessantemente buscou e espalhou pelos cantos do mundo o saber e a cultura
Desde os maiores mitos
Até aos vultos mais representativos da cultura Portuguesa do século XX
Será sempre lembrado como editor e divulgador de Fernando Pessoa e do modernismo português
Como pesquisador, e divulgador de Pascoaes e Agostinho da Silva
Como alto representante do movimento da Filosofia Portuguesa
Como fundador do movimento 57
E da revista Espiral
Como autor de muitos livros...
A toda a hora, na Rua António Quadros
Muita gente perguntará
Qurendo conhecer sua biografia
E outras tantas pessoas saberão responder
E glorificar
Este grande cidadão português
Saberão filiá-lo a António Ferro, seu pai
E a Fernanda de Castro, sua mãe
Dois titulares da Literatura e da cultura Portuguesa
E a uma nobre família culta
Onde há descendentes escritores
De nome nacional
E na história urbana de Cascais
A rua António Quadros
Ficará como um livro exposto
E à disposição para quem o quiser abrir
E exercer a cidadania da memória!

João Ferreira
Brasília, 29 de novembro de 2007

Anónimo disse...

Existe em telheiras em Lisboa outra Rua António Quadros

Anónimo disse...

Julgo haver algum equívoco à volta da personalidade evocada pelo painel de azulejo que se diz ser o nome de uma rua em Cascais.
Em 1923 nasceu António Quadros, escritor, que faleceu em 1993 e não em 1994.
Em 1933 nasceu António Quadros, pintor, que faleceu em 1994.
A qual deles se refere o dito painel? Gosto de pensar, embora saiba que não corresponde à verdade, que o painel se refere a António Quadros, pintor, arquitecto, urbanista, poeta, escritor, letrista, engenheiro e professor universitário nas Belas Artes do Porto.

Anónimo disse...

A evocação está correcta, refere-se a António Quadros escritor e não ao pintor No entanto tem razão, António Quadros morreu em 1993 e não em 1994. O erro foi corrigido semanas depois da data da inauguração da rua e desta fotografia.

Anónimo disse...

Nova placa, agora com a data de morte correcta: 1993.