terça-feira, 11 de setembro de 2007

criação e criador

"Visionamos a história como uma gama labiríntica e extremamente complexa de movimentos de primeira e de segunda instância, que mutuamente se buscam e se completam, se corrompem e se regeneram, se transformam por queda para logo se superar, concorrendo para uma mesma finalidade escatológica, mas sempre decorrentes do passo decisivo do homem, que não os originou, pois o consequente não pode originar o antecedente, mas que se finalizará como entidade mediatriz entre criação e criador."

António Quadros,
Introdução à Filosofia da História

2 comentários:

Maria Rita disse...

Criação e criatura, eis o poeta e seu verso de um reverso onde cruza-se espírito e corpo... Dualismo no qual mergulhados estamos onde não há como se fechar no casulo sem sufocar a rosa em seus próprios espinhos... Antonio adorei estar aqui lendo-te... abrçus...

isabel victor disse...

Belíssimo blog ! Vou passando ...